quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

ditados populares

Quem falou , falou demais, falou sem saber o que estava falando; é sempre assim... o povo fala demais.

È que, sabe? Onde há fumaça há fogo...


Essa mania de adotar todos os ditados populares como a suprema sabedoria pode acabar se tornando uma ....(ai: quase que eu digo - uma faca de dois leguemes...) ameaça ao progresso das idéias.


Na verdade , resumindo, não havia motivo pra tanto "fordunço"- situação própria para a expressão -que nem sei exatamente tudo que significa- parece se aplicar.

Foi assim apenas um estremecimento entre duas pessoas que se querem bem e que estavam uma em plena TPM e a outra com os "ovos virados"...Nada de sério . Logo, logo ia passar .Um ia refletir de um lado o outro do outro e iam sair correndo para fazer as pazes...

O cachorro, deitado na grama com a cara no chão... nem respirava...o teto do mundo tinha desabado...melhor nem latir...nem dizer nada...o melhor era esperar...


Chegou o caminhão. Todo mundo ajudou a carregar seus cacarecos...nada de valor...olhando de fora ;chegava a dar dó...

Pra onde ia?

Tanto fazia?Não. Havia uma grande esperança... ia dar um "up" em sua vida, novos dias, vento novo...sem olhar pra traz para não virar estátua de sal...

Agora o que o povo tava falando?! Se o povo não tinha o que dizer...tava inventando...isso sim.

Passados uns dois ou tres anos, parecia que o temporal tinha passado e poderiam até conversar como sempre depois da chuva, vem sol e nem parece que houveram raios e trovoadas...Esse estado de espírito que se instala de um uns anos prá cá (antes ninguem falava disso) em que se confrontam os desejos contrários, o mundo desaba e cada cotovia toma seu rumo ...


Como assim? Antigamente ninguem se desentendia? Tudo era sempre um mar de rosas? Mas que engraçado...


Seria cômico se não fosse trágico...Ou : é sempre tragicômico.


Agora o que o povo fala não se escreve... cada um que conta aumenta um ponto...esses ditados perseguem a gente...

Sei que estou falando , falando e não estou te esclatrecendo nada...pelo contrário estou te deixando zonzo...por aqui, por ali... e nada , na verdade ...não falei nada...È que não queria...jurei nunca mais tocar nesse assunto...

o atelier dos sonhos

Cabana dos Petry

Quem poderia imaginar que nesse barracão de quase cem metros quadrados, nos instalariamos por cerca de dois anos, fazendo dele um especial espaço para nosso atelier de arte em papel...
Fazendo parte da Fábrica de calçados dos Petry, ali funcionou o restaurante dos seus funcionários e tambem salão de festas de comemorações especiais...Num acordo de aluguel baratinho de "pai   para filho", foi possivel , viabilizou-se a continuidade de  nosso trabalho   rico de produção mas ...de receita proibitiva...para falar a verdade.Ali, se produziu dois anos de trabalho dentro e fora do atelie...com a educação de jovens de escola pública em finais de semana em que se desenvolviam peças em papietagem- a variação do papel mache que trabalhamos...

A nossa gratidão é imensa, pois sem que se pudesse jamais imaginar um espaço grandioso desses, foi abrigo de sonhos, de projetos e de realizações modestas, mas de muita importancia na trajetória de artista que de si só tem mesmo a sua arte...e uma fé inquebrantável de que está fazendo o que deve ser feito, da melhor forma possivel...
Muito de nossa história está na terra em que nascemos e crescemos e  outro tanto nesse lugar incrível que é o Novo Hamburgo, no Rio Grande do Sul...

Mas encontrar pessoas de espírito generoso, que se sente na alma sua torcida pra que os planos deem certo na sua vida...não é simples assim...em geral está no homem de grande alma- no que se distingue dos demais, também porisso.

Palavras, o vento leva... que posso dizer? que o vento que as leve seja o das benaventuranças para essa gente de primeiro calibre, cristais de rocha....

meu primeiro poema político

to sabendo que voce já é "escritor da antiga.".. sabe como ...usar a pena...

mas fique sabendo que meu primeiro sucesso foi um poema patriótico lido no rádio ! eu tinha 8 anos...isso significa...mais ou menos...exatamnete 1962....


        ..."eu vivo aqui porque eu nasci aqui este é o meu país a quem quero servir...

nestas matas tão serenas onde existiu a escravidão

hoje tornou-se um colosso  onde todo o  povo é bom


antigamente pertencia a Portugal...

mas agora

eles ficaram



com a sua capital..."



                               Que tal?! é coisa de criança, né?então...



terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Num simples CLIC

                           Quando folheava o tanto de livros empoeirados e empilhados na entrada da sala pareciam nada ter a dizer...Siquer parou para ler alguma coisa , como sempre fazia.

Achou-os pesados ao segurá-los, teve mesmo dificuldade em avaliá-los no sentido de deixá-los ficar ou descartá-los.

Muito estranho tudo isso... parecia um torpor... algo não estava bem pois deixara tantas outras coisas...pelos livros!Até pessoas eram impedidas de levá-los ...alguns deles eram meio assim-: sagrados...Deuso livre de desaparecer com esse meu livro...Preciso olhar-encontrá-lo ali:nesse lugar de sempre,inteiramente a minha disposição...Posso ter uma grande urgência em ler alguma passagem importante; pode ser útil para alguma comunicação indispensável ao progresso da humanidade...

Por alguma sabedoria...-achou melhor pensar dessa forma meio desapegada, contemporâneamente difundida pela visão oriental de mundo...(budistas, hinduitas...) e não lamentar ,antes comemorar estar se libertando de uma espécie de sofrimento...

Mesmo assim, fez um rápido inventário e lembrou que eram mais ou menos uns oitocentos e poucos .... e que durante muitos anos eles tinham suas  malas próprias...Em cada uma de suas mudanças e foram muitas... elas eram arrastadas...era impossível erguer aquele peso todo...papel pesa muito...

Uns quase duzentos e oitenta foram  comercializados em sua cidade natal- um rapaz,estudante de sociologia na universidade federal de lá, adquiriu extasiado - o "Ensaios sobre o entendimento Humano" de Locke...enfim mais ou menos uns trinta ou quarenta livros em que se encontravam suas necessidades de leituras e pesquisas ;o preço era razoávelmente barato ;estava tambem socorrendo uma pessoa amiga em apuros...Os outros duzentos e quarenta , um cebo escolheu a dedo ...pagou dois reais em uns, tres em outros...a coleção inteira do "capital-de Marx- levou   por dezoito...


Continuou carregando os outros... tantos!

Dessa vez aconchegou-os em caixas pequenas de biscoitos recheados...pra ficar mais cômodo movimentá-los...em suas mudanças constantes de casa...


Foi separando dolorosamente - esses de poesia, seria bom oferecer ao secretario da cultura da cidadezinha, pois havia um clássico de Victor Hugo... e mais umas edições preciosas de poetas alternativos do tempo dos anos de chumbo ( se editavam de qualquer jeito)
e traziam aportes de história da literatura do seu país...

Alguns foram doados a escolas;a professores amigos para que os disponibilizassem a alguem- alguns a entidades religiosas de várias naturezas... dessas que surgiam tambem ...sem tradição ainda ...e que ia ver -para aprender o que significavam em seu ambiente...cultural...Sempre gostou de poder ler seu tempo ao vivo.


Mais uns trezentos e tantos , dessa vez : selecionados ...os preferidos...foram a dois pilas( reais) uns,outros, há não se lembrava mais...quanto...!Parecia um ciclo de sua história , terminando... afinal...quem se apercebeu sem eira nem beira, não podia desejar manter :uma biblioteca particular...Havia aí um ressentimento , sim;como não? Seus luxinhos, suas economias, sua fortuna ...estavam ali, em seus livros...como num filme ... surrealista em que um artista passando fome ...literalmente troca seu trabalho por um prato de massa...com molho e queijo ralado...de uma única refeição ...sem considerar os outros dias em que precisaria continuar a comer.

Estranhamente, sentiu um grande alívio... aquele peso não carregaria mais...aliás, estava pensando sériamente em como diminuir ainda mais seus carregamentos...Que na verdade, nem eram seus, eram um empréstimo da vida...e um descaso com os carregadores de mudança que se esfolavam para levar  tudo aquilo, cheio de ácaros...bem tratados era verdade: com alta filosofia...!

Agora, um vazio cheio de ar ...uma espécie de ares novos... tempos novos ou algo parecido.

Vazio.

Sobraram (ou como poderia ser dito isso?) o exemplar antigo de Sienkevieckz- Quo vadis domine?, outro antigo exemplar de Platão, um do Neruda, um do Leminski, um do Mario Quintana(...), ainda alguns cinco ou seis dicionários dos baratinhos, de bolso, ah, e uns originiais  da Simone Weil...uma pensadora judiafrancesa que descobrira- das mãos de um professor cearense,  em fim  da década de  setenta...

Na verdade , queria mesmo era escrever seus livros...decidira que sim:teria umas histórias a contar prá desanuviar o coração mas também,para informar a alguem interessado sobre coisas que tinha aprendido na vida...

Sempre haveria alguem que poderia aproveitar sua experiencia...


Mas agora , ali com essa pequena bilbioteca que tinha espanado, sentia um tempo acabado.Uma época se findava.Como era possível uma vida tão pequena ter tido tudo aquilo... era um pouco   de  petulancia...


Sabe-se lá quanto não fora arrogante mesmo por ter tudo aquilo de
livro em sua casa só dele?Se gente há que não sabe nem ler, que nem tem nenhum?E pra que  existem as bibliotecas se ninguem for lá olhar os livros?Para ser mais interessante, os livros deveriam estar todos em muitas bibliotecas...por todos os lugares...ao alcance da mão de todo mundo...de todos os assuntos.. assim mais  ou menos como agora nos computadores tornou-se acessível(!)   encontrar tudo quase ...sobre quase tudo...e nem precisa carregar nada...

Num simples "clic"...

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Rosas para Clodine...

Clodine é uma senhora artista;convivemos quando ela estava apaixonada pelas coisas do Toulouse...Lautrec(será que acertei?)
è impressionante a facilidade de tramar a cor- acho que é mais menos assim que pode dizer...


Sabe em quem vi algo parecido? Portinari.

Ainda vou te mostrar o dom quixote do Portinari a lápis de cor... é um bordado veloz de traços inacreditavelmente autônomos respeitando o caminho um do outro...dúzias de linhas...coloridas...Um espanto...

O trabalho de Clodine é assim...

Mas não sabia eu que ela estava indo a Novaiorque...tá bem - New York então! Pôxa, sabe o que é isso? Nova Iorque, minha? É "O" lugar do mundo- mais importante ...do planeta todinho...Que França...o quê!...Não , agora?!...Agora não: ...há pelo menos um século, a cidade de Nova york, se tornou o lugar da arte e dos artistas...Mostrar um trabalho teu lá? É tudo ...que alguem pode desejar...

Faço as contas e concluo que a conheço a...mais de quinze anos... numa interlocução ora maior ,ora nenhuma...mas, sabendo-se sempre envolvida com a arte...

As coisas em que estive vendo seu trabalho - refiro-me as bicicletas... não se confundem com nada de Iberê, nem de Juarez Machado, ambos artistas brasileiros, um gaucho o outro catarinense; ela é do Paraná, mas nem menciono outros que já vi trazerem a bikes para seu trabalho....a vejo entre esses tão importantes...sem deixar de olhar que é uma mulher...aliás o evento lá na terra do Tio Sam (porque mesmo se diz assim: tio sam? sabe que não lembro...)reafirma isso- Woman in art...




domingo, 26 de fevereiro de 2012

cristais de rocha

quero encontrar quem queira pensar

assim simplesmente...

sem medo de nada

pensar é uma bela parada

um deixar-se entender


afinal que a parábola queria dizer:


........-"tempo de plantar , tempo de colher..."?!




resgatar tornou-se verbo amar,


amar tornou-se verbo esperar...



em outros tempos poderiam ser iguais

forças de uma vida que se articula e organiza- um tempo de espera, um outro de encontro e de amor, um de perda de tempo...

outro de resgatar...restaurar, recuperar, restos de um no outro,


numa sinfonia dodecafônica

misto de sanidade e loucura...

um entrevero fiel

de onde se conquista um obra prima...


uma senhora obra...



um colado no outro,
o outro espelhando o um
parece cristais de rocha
mil faces naturais
esgotando um modelo de esmero
e lapidação em conjunto
num joiar precoso e singular...sem testemunhs
num apreço

sem fim
nem começo...cristais de rocha
papel mache e seus usos- é um livro de registro de nossa experiencia na produção de objetos de uso cênico, pessoal, escultural e decorativo -
usando a reciclagem de papelões e jornais usados,verniz acrílico; a cola de trigo- o grude, a pourpurina, o gliter dourado para enriquecer as peças...


Foi na casa de Claudia de Lara, numa reunião com Alfredo Gomes Filho, que se esboçou a idéia do livro cujo projeto ele elaborou, encaminhou para a Fundação Cultural de Curitiba, á epoca estavamos resindo lá, era no ano de 1999.


Dois anos depois , aprovado e sem recurso, redescobrimos em uma amiga de ginásio Estadual do Paraná-Rosangela Tramontini, um apoio grande para levantar recursos para viabiliza-lo; Com o apoio de 50 % dos recursos do Banco do Brasil, e o restante de Voupar, Slavieiro- concessionárias de veículos, e Transresíduos...em 2002, dezembro,oficina para quase 60 pessoas a ceu aberto, no centro cívico da  cidade...- durante o circuito cultural do banco, pudemos ver concretizado um trabalho  do mais puro compartilhamento coletivo pois de Novo Hamburgo, no Rio Grande do Sul, ou de Curitiba, fez-se homenagem velada aos inúmeros amigos que vieram conosco redefinind uma trajetória em militancia ecológica - em seu carater ciencia - se uniu a arte... trazendo uma reviravolta e propiciando uma reconstrução de recursos em novas e inacreditáveis configurações, fazendo crer que estava surgindo uma proposta de sustentação não só para nos, mas para amplas camadas de interessados em atuar com baixos custos, tanto na educação como na arte em geral...


Jovens, crianças, professores, público em geral, foi conferir a proposta e muitos descobririam a pólvora de suas vidas...


Francisco Razia, fotógrafo, Munaretto- designer gráfico, dois dos jovens que assumiram a produção grafica da idéia...


Maria Tarcisa S. Bega, parou seus compromissos para ouvir esse apelo- sugerir alguem para a produção fotográfica, na revisão de texto, na divulgação, em apoio moral-tanta gente ...

Nosso livro - Papel Mache e seus usos...



Nosso Livro - Papel Mache e seus usos


REFLEXÕES   SOBRE   FRANS KAFKA-

(DE REYNALDO ALVES ÀVILA-
IN RELIGIÃO E SOCIEDADE-DEZ/84, P.84)
                  
                   
                    ..."um dia - é o que parece que lhe vai acontecer- 
seu mundo- será reduzido a quase nada , a uma folha de papel em branco;
e, cada folha, ele terá de extrair de sua miséria interior o suficiente para cobrí-la de rabiscos.
E não se tratará de uma situação antinômica"     (uma das "antinomias da solidão": o escritor, solitário, se escreve, o faz para ser lido); tratar-se-á, ao contrário, do grau mais extremo da solidão, quando nada mais há a fazer, senão escrever, e quando o escritor, uma vez tido expresso seus senti entos e idéias,  se desdobra , torna-se o leitor de si mesmo(...)

                      terei que cumprir

a solidão necesária,

aquela que torna ... os escritores fecundos?


                                      




                                         POEMAS LIVRES ANTIGOS...RELIDOS


SE FOSSE FÁCIL...AUTOMÁTICO                                
O SENTIMENTO DE
AMARGO
DE AUSÊNCIA
DAS IMPOSSIBILIDADES
QUE "SE" CRIAM
QUE VEM COM FORÇA
DE DESUNIR
DISTANCIAR
AFOGAR DENTRO DE MIM
TODO O LÍQUIDO DA VIDA
QUE SE PRODUZ POR VOCE
QUE SE REVOLVE...
REVOLVE-R?
AH!UM "38"?
NA CABEÇA!

"2"

"é monótono, pobre
quer dizer: escasso
o oxigênio
que se precisa
para ser livremente
um do outro
sem exclusividade
ninguém é de ninguem


taí
um tempo
reze que seja
longo...
depois é depois
quanto mais eu vivo
mais aprendo
e o último
será com certeza,
o primeiro
a amar 
toda essa 
sabedoria, modesta!

"3"     

num calor de carinho
um olhar de veludo
uma beleza estranha
que tanto na tristeza
quanto na euforia
se revela e mostra
com certeza
meu coração, veja:  
bate aqui junto do teu!

"4"

um HAIKAI

se mereça
no coração
a vida passa

"5"

Acuo,
sede, soda?
a sola gasta...
a respiração
tá foda:
é a cachaça,
a cerveja...
o cigarro...
a chambiornaça...
O paraíso?
é uma viajem 

cansativa.


"5"

Eu?
não bebo
não fumo

Rezo...muito!

fecho o olhos 
olho os mundos
me esponho
fente as pessoas

nuamente

sinceramnete

imperativamente

suavemente


silenciosamente

                contidamente...
                          -:"  tudo que seu chefe mandar"?



"6"


a espera de uma sociedade livre


de que o velho sonho, sonâmbulo
surrealista

fantásmagórico

sonho
libertário

cristão

marxista,
leninista,
trotskista,
chauvinista,
hitlerista,
facista...
........ista
.........sta
..........ta

o homem ainda sonha?

mas não é um azar o homem ser sonhador?


"7"

emigrar
exilar-se longe de ..."casa"

pensar que aventuras vai viver...

que novos amigos , novas alianças 
vai fazer...

entender que não é nada disso

que daí foi imobilizado,

encurralado-
um bicho estranho...

estrangeiro

monitorado:-


te saboreiam, cuidam passo a
passo, do que for fazer...
por curiosidade, nada é por mal...


vai sendo construido
um imenso muro

intransponível volta

inimaginada condenação!

ao buscar seu cantinho

ao tentar ouvir alguem


contar  história
num gesto
 de venha
me conhecer,
não quer?

me fale de voce...


adoro conhecer pessoas....

prá que?


"8"

tinha um tv portátil,
tres banquinhos...
vivendo tão bem (!)
sem geladeira...
pra que se
dá  prá comer sorvete na rua?


"9"

felicidade não existe.


"10"

queria me deitar
aí nesse chão
me enrrolar
 em voce
 e deixar o pano descer
companheirismo infatigável, esse!


"11"


a liberdade virou pedra
mas o que é que a liberdade tá fazendo lá?


mais tarde vou olhar

onde posso encontrar
tá aí...perdida nessas caixas

aquela coisa preciosa,
a foto, o texto,
umas chaves,
livros, biscuis....
documentos de ninguem
já ficou ninguem

já faz tempo era
alguem...!Mas agora é nin-
guem...

um sabor baunilha de sorvete de esquina

um cheiro doce
 de forma de bolo
 de banana com farofa

um coração meio bamba,

um onibus demorado,

nenhum lugar pra sentar...

não aguenta mais ficar

de pé!
andou rodopiou

subiu, desceu, correu feito louco...

mas chegou ali onde previa...

tiro certeiro
na sorte...
essa sorte
se faz todo dia


todo dia...


mais vencido
 impossivel...o trajeto...
de que

se tratava...

caminhar,
 passar por tudo isso,
nem siquer
 pestanejar...
fundo... ligeiro..
 esperto,
 acordado.

poemas livres mais que nada...

sábado, 25 de fevereiro de 2012

Leituras

ANOTAÇÕES-
 FRASES- março-junho de 1975-
Franz Kafka

sentido prá vida

pra que pensar tanto em saídas mirabolantes de viver a vida...


se tudo que deve ser feito não passa de tomar medidas 


de tomar providencias para proteger sua vida?




nos campos se pode respirar os ciclos mais ou menos estáveis
que regulam o plantar, o colher...e o repartir.


nas cidades se pode notar mais ciclos de semeaduras e colheitas e de compartilhamentos...

hoje se chama esse modus vivendi de civilizado
algo   assim como  batalhar pelo melhor modo de ser e de viver diante dos evoluídos ciclos cada vez mais integrados e acelerados de viver a vida pessoal mas social pricipalmente.  


vai parecer tão incompativel juntar as duas formas de viver- a do campo e a da cidade...



não á possibilidade de imaginar um sem o outro... tendo mesmo gente que quase nunca visita siquer um  ou o outro...

o sentido de encontrar qualquer força aqui ou ali para manter-se vivo pode vir de hoje , de muito tempo, de onde importa mas não se tem ainda a menor possilidade de imaginar siquer de onde seja...que ela possa vir...


os livros, as histórias contam , outras revelam uma enorme gama de significações...que adotamos com um ou muitos motivos, e alguns modos tão convictamente - a ponto até de matar para dignificar a vida , em nome de Deus...Com muita dificuldade nos movemos nesse campo minado de buscar todo dia , o nosso direito de viver a nossa vida...



sempre olhando o que há de belo em volta

sempre tentando enxergar qual a mais adequada estratégia de luta par seguir vivendo... 

sentido prá vida-

na margem
sem familia
sem igreja fixa
sem ficha pra conseguir um emprego,
sem roupa bonita,
ou se apruma ou vai ficar difícil...



vamos empreender, irmãos...

todos os campos tem desdobramentos,

um pouco de coragem e tudo


vai dar certo...


as contingencias...fazem parte de tudo em todo lugar...

cavacos do ofício; ora veja: depois classificam os videntes, visionários da hora, de loucos, anormais... o que eles esperam com sua insanidade? Só poderão dar com "OS BURROS N'AGUA"...



prever todas as possiblidades - ou quase todas as possiveis de se prever,-tudo bem; parece mágica, e não ciencia. Só que as contingencias tornaram-se mais comunicativas ...por assim dizer e não dá mais prá controla-las...quando se vê - mais um esforço hercúleo para quase nada de resultado a não ser- encher as estatísticas de zeros...

Na magia da arte, redundando de novo - extraordinários artifícios de procura por saídas criativas...Tudo brota da necessidade de viver e manter-se vivo...Nisso se desenrola toda a história...Necessidade de viver...

de manter-se vivo...

muitas saidas originais e cheias de conteúdo, vem trazer expressões de toda complexidade e ao mesmo tempo de muita simplicidade tambem...

na ausência de uma porta, estendo um pano e pinto uma...

na falta de uma varanda com vista para os morros , eu pinto uma enfim coisa boa- pincéis e tinta...

se vai resolver o problema de cuidar da própria vida, se vai promover melhores dias, tudo é tão relativo...


o que importa mesmo-: é estar vivo!


Toda poesia, música, composição, filme , teatro, ópera, e tudo que não seria arte, por ser outra- alguma coisa- com seu prórpio soar,seu próprio colorido, seu show, seu espetáculo,vão significar a par de ser uma vida inteira- aquilo ali, praticamente nada -´

só o esforço por estar vivo...

AINDA E SEMPRE DOM QUIXOTE

Antes que me esqueça, não acho errado ser cavaleiro tipo D.Quixote;
nem equivocado ser ...Dulcinéias...
tudo pode ser,né?
 -SONHAR MAIS UM SONHO....IMPOSSÍVEL,
NEGAR QUANDO É FÁCIL CEDER
VOAR NUM LIMITE INVISÍVEL
TOCAR O INACESSÍVEL SER...


É MINHA LEI , É MINHA QUESTÃO, VIRAR ESSE MUNDO CRAVAR ESSE CHÃO...

E NÃO POSSO SABER SE É DIFÍCIL DEMAIS

QUANTAS GUERRAS TEREI QUE VENCER POR UM POUCO DE PAZ...

E AMANHÃ SE ESSE CHÃO QUE EU BEIJEI

FOR MEU LEITO E PERDÃO
VOU SABER QUE VALEU

DELIRAR E MORRER DE PAIXÃO...

E ASSIM , SEJA LÁ COMO FOR 
VAI TER FIM A INFINITA AFLIÇÃO

E O MUNDO
VAI VER
UMA FLOR
BROTAR
DO IMPOSSÍVEL CHÃO...


ESSE POEMA QUE BETANIA POPULARIZOU, ESTÁ LÁ NOS DIÁLOGOS DO DOM QUIXOTE DE LA MANCHA DO CERVANTES...

É UMA PENA QUE NÃO FOSSE A GENTE QUEM TIVESSE ESCRITO...

NAO QUERO PERDER ESSE TREM DE VIDA

Que eu quero deixar de fugir da raia...                                          Penso em correr e não em perder o trem...fica parecendo que não estão nem aí...

As pessoas se matem de tanto que correm perseguindo cada pequena chance de sobreviver...

Mas sempre um olhar- é juiz ,de achar o que menos é ... de inventar e grudar ali, no pé das pessoas seus esparadrapos
empoeirados, vencidos que nem que se queira não colam mais nem servem siquer para guardar o machucadinho de um cisco ...

Estou entre essas... não quero perder o trem ... mas estou aí meio assim tambem ;de vez em quando, olhando pro lado e achando que -..."ai, bem que poderia existir mais ...estações de embarque, mais bancos prá sentar , mais bebedouros de agua,  mais plantas e flores, mais lençois brancos, couve-flores, beterrabas, cebolinhas, é - de tudo um pouco mais...

porque as pessoas se matam pra aproveitar cada chancezinha de cavocar a vida , numa fome danada de tudo isso e mais um pouco, as coisas andam poucas... a dor é que não se micha...


ficar só pensando mais que nada...

isso não dá futuro...


que futuro pode ter ,

alguem sentar e ficar pensando...?

mas vá lá que com isso reveja uma vida , duas, até mais, e vá indo dia a dia mais longe nos seus pensamentos, caminhe nesse trajeto de pensar cada vez mais, conclua alguma coisa imediata, para ver se alcança mais alem...

melhores formas- de refletindo, resolver seus problemas,
olhando outras vidas,
se aperceber dos poemas, 
abrindo o coração deixar entrar
o amigo bandido, malcriado, que ri tuas dores, que te tacha de menor, te invade e aniquila, numa palavra que é pura troca de sentido...

onde le-se amor dedicado, traduz com rançosa ricota-"
 amantes?"

Onde se escreve - mãe contemporanea--"ah,perdeu o filho de vista...?

onde se entra prá rezar, é suspeito- não é uma catedral...


ao acenderem suas velas, condenação-excesso de marcas rituais...

mas não quero perder esse trem... e já amanheceu e quero ir a Porto Alegre ...

Preciso encontrar meus amigos ... eles estão lá ,na luta ... é que ficam depois da feira ecológica, no Parque da Redenção, estão lá os couve-flores , as alfaces, beterrabas, e um dia te conto que mais que eu vi...em dezenove meses que trabalhei lá... 
dos que vi bebes, dos que vi morrer, dos cães e dos gatos.. das bicicletas, dos namorados, dos seres de outro planeta de tão bem criados,  as conversas que escutei dos papos que bati, do quanto esperei pelo sábado, do quanto sofri...muitas vezes sem nem ter dinheiro prá ir... e depois do sábado todo, nenhum tostão para voltar, nem lugar, direito pra ficar...esquisito?
não quero perder esse trem...mas

vou parar um pouco pra pensar na minha vida...
Sei, estou sabendo, que virão dias e dias , e que não vai ser possível arriscar sempre tudo...

sonetear

que bela coisa...
é o quinto recomeço
come não fosse pouco o tropeço
que sacode o andar da carruagem...


não era nada de verso
era de prosear que vinha vindo querer fazer
mas parece que carece de ajustar o modo de ser


nada que se possa resolver mais derepente
nem esquecer tampouco é possível
já atingiu o marco de sufoco


quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

será possível viver e ver uma canção tão bem feita...e não ficar muito mas muito emocionado...
è assim com sonho de amor de Liszt..., com a nona de Beethovem,
ou com a-..."nada do que foi será do jeito que já foi um dia..." do pop mais pop impossível...



outro dia me dei conta que 'tava tão sem música dentro de mim... nada , nenhuma siquer que o coração cantarolasse ...mais animado ou emocionado só...quer dizer -vivo!

acabo pensando o que seria do mundo sem nenhuma poesia, sem nenhuma nota soando...num arranjo qualquer , desse assim irretocáveis...

Ganhei o" Don Quixote de La Mancha "de uma grande amiga... leitora voraz, era linda a encadernção...até pó de ouro na brochura...
Se li?Ô... devorei em vários anos... quase morrendo de indigestão... isnuportável o sofrimento desse cavaleiro...andano num roncinate tão faminto e ladeado por um amigo como aquele sancho pança...mais ou tão faminto quanto...
Como se não bastasse a dor de andar atras de uma batalha que pudesse de algum jeito torná-lo mais ...nobre, dia e noite, noitee dia, lá pelas tantas acontece no seu caminho uma tal de Dulcinéia...Oh! Dor... quem poderia esperar ainda isso...uma grande paixão , pelo caminho...

COMO NUM POEMA- VIVER UM DOMINGO...

 FOI NUM DOMINGO , DEPOSI DO TRABALHO NO GAZOMETRO, QUE FOMOS A UM ENDEREÇO NOBRE DESSES EM PORTO ALEGRE EM QUE TUDO ESTÁ ORGANIZADO PARA MEDITAÇÃOPUBLICA - DIRIG,IDA AOS HABITUÊS, E PODE-SE DIZER PERFEITA - COMO ACRESCENTAR ALGUMA COISA AO SILENCIO, A FALA JOVEM E PLENA DE AUTORIDADE, DE UM BELO RAPAZ EM TUNICA BRANCA , NÃO LEMBRO BEM ACHO QUE NORMALMENTE VESTIDO APENAS DE CAMISA BRANCA...OU COM UMA TUNICA POR CIMA...ALGO ASSIM...DE CARÁTER INDIANO... COMO ANTES QUASE NÃO SE VIA POR AQUI...

COMO INICIO DE SENSIBILIZAÇÃO , SOA UMA MÚSICA DIFERENTE EM UM RITMO REPETITIVO E SUAVE VOZ AO FUNDO PARECIA FEMININA...

LOGO EM SEGUIDA VEM A SAUDAÇÃO AOS QUE LÁ SE DIRIGEM SEMPRE , PORTANTO -CONHECIDOS  E AOS QUE ESTÃO LÁ PELA PRIMEIRA VEZ- UM ESPECIAL BENVINDOS..

NO ASSUNTO O CONVITE AO AUTOCONHECIMENTO, AO RESPEITO A VIRTUDE, A MOVIMENTAR-SE NO SENTIDO DE RESGATE DE SUA PERFEIÇÃO POSSÍVEL, INTERIOR- TRAZIDA PELA CONEXÃO COM A DIVINDADE...

UMA REAÇÃO FELIZ DENTRO DOPEITO , POSSO AFIRMAR QUANDO NAS PALAVRAS DECODIFIQUEI- HÁ EM VOCE SUA CONCEPÇÃO IMPAR, PRÓPRIA DE BELEZA E ELA ESÁ SUFOCADA, POLUÍDA, DETERIORANDO, TALVEZ?

LET'S GO TO DO THE RECUPERATION...FROM
YOUR SELF TO YOUR SELF...NOW...

AS NOTÍCIAS VINDAS NO CORAÇÃO DE ALGUMAS PESSOAS TRADUZIAM INCOFORMIDADE COM A INTOLERANCIA DE VIZINHOS, COM A ATITUDE DESEDUCADA NO MUNDO  DE UNS COM OS OUTROS, DE TODOS COM O AMBIENTE NATURAL, NUM CONSERTO HARMONIOSO  ...

TODOS DE ACORDO QUE HÁ MUITO TRABALHO PARA SER FEITO E QUE ESTAR ALI, MEDITANDO É UMA CHANCE ÚNICA DE RENOVAR-SE PARA VOLTAR AO MUNDO E AGIR TRANSFORMANDO-O...

PODE SER QUE SE DIGA - OLHA AÍ:ORIENTE E OCIDENTE ESTÃO SE ENTENDENDO POIS FALANDO A MESMA LÍNGUA A RESPEITO DE UM MUNDO MELHOR...

A PACIENCIA, A HUMILDADE A  FORÇA DE UM VIVER EQUILIBRADO, TUDO MUITO PARECIDO, COMO SE dEUS FALASSE DE  MODO ONIPRESENTE EM TODO LUGAR A MESMA COISA...SE ELE EXISTISSE...

MAS HÁ QUEM DIGA QUE DEUS É APENAS CRIAÇÃO DOS HOMENS e nada mais...E NADA MAIS?!



BOM ; DEIXANDO ESSE PROBLEMA MILENAR DE RESOLVER SE DEUS EXISTE OU É MIRAGEM DE  QUEM ...FICA MEDITANDO...PARECE QUE O ÚLTIMO QUE FEZ UMA SÉRIA TENTATIVA FOI DESCARTES- NO SEU MODESTO- PENSO LOGO EXISTO...NOS SENTIMOS  OBRIGADOS A CONFESSAR UMA IMENSA GRATIDÃO À VIDA QUE NOS CONVIDA NÃO PARA LUGUBRES LUGARES , DE EXTREMO COZIMENTO DE SERES EM FOGO ARDENTE DE TODO TIPO DE ESPIAÇÕES...

MAS A REPARTIR COM OUTROS SERES ÁVIDOS DE AR, AGUA, OXIGÊNIO, QUE IMPLORAM PELA CHUVA, PELO TEMPORAL EM SEUS CORAÇÕES , COMO QUALQUER CRIANÇA DESEJA MUITO UM DOCE QUALQUER QUE SEJA PARA FICAR FELIZ...
NUMA ESPECIE DE  ACORDO COM SEU SER MAIS INTERNO- EM QUE A COMUNHÃO É POSSÍVEL ,-E ESTAR ALI NUM NOBRE LUGAR DESSES OU SIMPLESMENTE EM SUA CONSCIENCIA SE É QUE SE POSSA FAZE-LO SEM REFERIR-SE AOS OUTROS SERES NO SEU MUNDO IMEDIATO...

VAI SER UM FENÔMENO

DE SUAVE REPARAÇÃO , NUM CONSERTO DE CORPO ,DE ALMA, EM QUE TUDO PODE SE TRANFORMAR... CUSTE O QUE CUSTAR ...NUMA ESCASSEZ ASSOMBROSA DE LIGAÇÕES ENTRE O BALSAMO E A DOR... NUM  CENÁRIO DE GRAÇA... OU

DE DOCE E POETICA RENUNCIA AO  PRAZER SE SER NO MUNDO APENAS DE SI PARA SI...

MAIS A SALVO QUE DENTRO DE SI MESMO IMPOSSÍVEL...ENTÃO PORQUE PRECISAR TANTO ASSIM DE SE ENCONTRAR COM OS OUTROS , DE MEDITAR SOBRE TUDO, DE ENVOLVER-SE COM O MUNDO...?


V
Tudo pareceu completo...caiu uma senhora chuva... mas que nem o desejo mais forte poderia corrigir...Frecor, revivencia das energias de tudo em volta...aquela moita de beijinhos esqualida e languida, parecendo já...quase morta, se arremete novamente e causa espanto que ressurja assim, mais linda ainda...


Parece que a alma da gente se mostra dessa forma ainda que se negue, semi morta, desmilinguida, nem respira... não se sente nem uma gota de oxigenio em nada... tudo desértico... fritando...lado a lado...

Mas a trovoada então aparentemente repentina- anuncia que é já que vai chover... mais que uma chuva ou o reles chuvisco vem ali...um senhor temporal...

Dentro do coração um sentimento profundo de pura salvação...! Como quando as preces são ouvidas... e a alma se lava num balsâmico e perfumado nectar divino de alimento e renovação das energias....
 Mas ainda assim, se pode sentir que as conversas ao lado, nem se corrompem com esse ritmo de chuva que cai solenemente... Apertei um botão fui ver adiante de que tratavam pessoas sem ar, secando no calor dos tempos e não vi nada, nehum sinal de busca por uma única gota de água... como se houvesse um tipo de atmosfera nova em que todos ou um montão de gente - se imerge e lá sem nenhuma agua que perturbe... comunicam suas estéreis , abandonadas, frágeis e amareladas,
inacreditável...

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

2011-11-21

PAPOS COM A LURDE

ainda que alimente a esperança de poder cantar por aí, ela anda perdida entre as lembranças que por incrível que pareça conjugam uma espécie de cancioneiro dos idos anos de 40, 50 e 60 (ai!) do século passado, com alguns espasmos da jovem guarda e dos tropicalistas da década de 70 ...bem vividos uns, e emprestados outros; afinal, nasceu em meados de 50...Mas que fazer se sua casa funcionava a radio ligado(de válvulas, sim senhor!)E a noite num fogão a lenha , era a roda de familia, pequena embora, na sessão:- talentos impagáveis.A sua mãe ,que só frequentara um "curso primário",tinha alguma familiaridade com estruturas de linguas estrangeiras...muito radio, muito radio...Haviam cursos sistemáticos da Aliança Francesa, da Dante Aleguieri- com italiano, e ingles , não esquecendo ainda do espanhol e do alemão...Acha exagero? Ela perguntava..._"Nada disso, é que não quiz exagerar mesmo- senão ainda te diria, que o espanhol e o árabe eram tambem programados no radio- com a cultura, a musica...enfim veiculadas..." Essas influencias, fizeram com que nessas rodas , a noite- dependendo do clima, se cantasse lendo as letras nos livrinhos de letras que se comprava baratinho nas bancas - se cantasse tudo de Gardel!"...Ela insistia...e completava-: a pronúncia? A gente escutava , quando o próprio Gardel cantava no radio e treinava..._"retiflau de mi tristeza..." ou-..."caminito ...",..."silenzio en la noche..."Existia um jovem talento na familia que era requisitado pela sociedade de então, para cantar em especial a canção -Granada!Tinha um super alcance de voz e ia todo arrumadinho, 12 anos por ali, fazer seu show...muito apreciado e plaudido
Essas memórias de Lourdes nem te conto- mas...é que ela não se toca; tempo demais , já passado e ela vem com essa de Gardel! Tudo bem; a gente tem que ter paciencia... naquele tempo, século passado, tudo era mais difícil... hoje em dia, tá tudo mais fácil... e melhor; pois as pessoas vão direto a Buenos Aires, ver os tangos e as paródias de Gardel...ou aprender tambem o espanhol...Entendi que o que ela queria dizer era que a musica, o rádio- ensinavam divertindo, entretendo.E concordo, tenho que concordar que é um jeito de difundir cultura...Mas não sei se só isso- não quiz encher a danada de afufos- mas vai tambem da sensibilidade de quem ouve e de como seleciona as coisas que o radio tem...(tinha!) para transformar em novos comportamentos e posturas diante do mundo...Até porque , minha filha, quem lia George Sand- !È- a namorada do Chopin, escrevia com esse pseudônimo...olha só que fantástico... e se vestia de homem para aparecer na sociedade francesa de então como escritora...já que a mulher ainda não tinha essa identidade conquistada...Mais um fio de conversa que não acaba mais;não aguento mais a Lurde...tem assunto prá 10 anos de amizade...amanhã, amiga a gente conversa mais...

SE LIGA!

queria ter escrito antes e não consegui... muita  mas, muita coisa prá fazer... ando demais atarefado...sem tempo até pra rezar; aliás, nem sei ...prá que rezar tanto , se lá no fundo , no fundo...bom: todo mundo sabe o pecador que se é...Bom, mas quem sabe...se rezando a gente não melhora, a vida- não melhora, tudo não melhora...né? Medo- medo não , pavor de que uma bruxa desça aí, no quintal... e vire tudo de perna pro ar...e faça uma bagunça na vida da gente... è: pois eu? 'Tô na sobrevida...indo muito bem obrigado...é ; afora queles pecadinhos de sempre- de pensar melhor (não :mal...) no que os outros estão fazendo ou dizendo... , de desviar da poça d'água, afinal quem quer molhar os pézinhos?bem, enfim, obrigado.Por quanto tempo? Ah, bom aí já é difícil saber... Pensava, com um amigo meu, outro dia- sobre esse negócio de torpor espiritual- sabe assim quando o cidadão fica meio ...com a cabeça na lua - meio aéreo e fora do ar...(acho que redundei...) Não sei - não entendo nada de xamãs, agora todo mundo está na frequencia dos xamãs...e parece que é uma espécie de recuperação de forças puras da mata, (olha a idéia que faço sem conhecer...), para fortalecer as pessoas...na cidade?!Então, as vezes pode ser falta disso, falta daquilo,sejam lá o que isso e aquilo possam vir a ser... voto pelo estudo da filosofia... acho que dar uma pensadinha faz bem...ajuda... quanto ao medo, ao pânico de que falava antes, não há o que fazer...sentir medo é mais que necessário senão vamos direto ao poste...damos com a cabeça lá, de novo.O estudo da filosofia te ajuda a refletir de modo adulto e competente- ai- exagerei de novo-a criança, as vezes ,pensa melhor que gente grande, sabia? Então, como ia dizendo- de modo competente. Nada escapava aos filósofos...tudo devia responder aos porquês e aos comos...esse negócio de só crer , ou ver para  crer(pense: com a tecnologia - tudo se materializa, hoje em dia...) ...E em alguns casos nossa imaginação é tão poderosa que plasmamos (não digo -do nada, mas...) coisas do arco da velha...por nossa  conta mesmo!É que andam acontencendo coisas incriveis - boas, muito legais em que jamais apostei um dólar.Acho que os ditados populares guardem ecos com as realidades e fico temendo que  algo desintegre a felicidade pois diz o velho ditado- quando a esmola é grande o santo desconfia...amanhã vou contar o porque dessa converça... desse " papo cabeça"...(Se liga...)

SÉCULO DELEUZIANO- SABE O QUE PODE SER ISSO?

ACABO DE PERDER DE NOVO PRÁ ESSA MÁQUINA TODO O TEXTO QUE TINHA PRODUZIDO ...MAS NÃO VOU CHORAR...



VINHA FALANDO  DE GILLES DELEUZE- de como  gostaria de conhecer melhor o pensamento desse filósofo, ou estudioso da história da Filosofia, que  fez par com Guattari, em conversas sobre tudo e mais um  pouco.


Ocorre que  história não é brincadeira menos ainda a história do pensamento... ou as várias histórias, né? É possível encontrar mais de uma forma de ver a mesma história ou melhor... podem existir várias versões tornando a história de fato mais de uma?

Li num dicionário de Filosofia, que comprei( se abaixe que vai doer...) em uma Gallimard de Paris em 1994, quando lá estive, (eu avisei...) que Deleuze- era um pensador singular- original- e voce deixa que cite em francês?
                     "...- Un jour, peut-être, le siécle sera deleuzien", segundo Foucault....
                      Bom, que em sua obra - O que é a folosofia ele, Deleuze teria dito que não era contemplação (Platão), reflexão(Descartes) e nem uma comunicação como em Habermas; mas sim produção de conceitos.
                     Vendo um blog de quem ainda vou me lembrar, e lendo ali uma referencia a Deleuze, analisando o texto, sua agilidade, precisão, beleza, ardência, conclui que teria que ter um  uma referência desconhecida para meu escrever...
                    Embora não pretenda produzir conhecimento mas pensar mais que nada...acho que de vez em quando quero tambem falar dessas questões como por exemplo essas de negação da dialética... como o fazem Deleuze e Foucaulafinal porque eles a consideram ressentida, rançosa? caso voce já saiba alguma coisa disso aí, me conta alguma coisa ..."té. 

PRA ESVAZIAR O CORAÇÃO-

         poesia- (Paulo Leminski)                                                        "  Ontens e hojes, amores e ódio,

                                                             adianta consultar o relógio?
                               Nada poderia ser feito,
                            a não ser no tempo em que foi lógico.
                              NINGUEM NUNCA CHEGOU ATRASADO.
                          Bençãos e desgraças
                         Vem  sempre no horário.
                         Tudo o mais é plágio.
                                                 Acaso é este encontro
                                               Entre tempo e espaço

mais      do     que   um   sonho   que   eu  conto

                                 Ou mais um poema que eu faço?""

Esse poema é meu preferido- de cabeceira como se diz...é do livro-Distraídos , venceremos, 2a.ed, brasiliense.
                                       O grande filósofo e professor de filosofia Jaime Paviani gostava de avisar que a poesia é a forma mais perfeita de filosofia...embora me embebedasse de suas aulas no curso de mestrado em antropologia filosófica na puc-porto Alegre, nos idos de 93 a 95, confesso que não conseguia imaginar quase nada do que ele -referia no seu pensamento....sempre achei tão simples fazer poesia, e jamais porisso só- pensaria estar a um passo de ser uma filósofa ou menos ainda, uma poeta (poetiza?)
                       Escrevo desde a adolescencia e pricipalmente, para organizar as idéias e desabafar... o coração, a mente se enchem de tantas emoções da vida, de tantos pensamentos sem direção certa... prá lá agora, prá cá daqui a pouco... que alguem aconselhou a escrever- pois ajudaria a esvaziar um pouco a crise ...E, ai, que coisa...como era possível o mundo estar indo, se eu vivia em crise? O padre da paróquia dizia que um filósofo ou dois- Marcel Mauss (ou? esqueci o outro...) pensavam que só das crises resultavam novos movimentos...que quem não experimenta a crise - é medíocre... não duvida, não questiona, não muda nada...Que eu me sentia consolada? olha não sei, se o ego se adoçava com isso; sei ,que 40 anos depois, estudando os filosofos com muita abnegação e fervor, me sentia .... no mesmo estado...em crise, com uma profunda angústia...anotando tudo que ...que um dizia , que o outro observava; afinal, tinha na turma que frequentava - pessoas de um calibre que voce nem vai acreditar se eu te contar...vai achar que to mentindo...Então, não vou falar neles hoje, mas um dia desses lhes farei uma homenagem , humilde, modesta como for possível, afinal -estava lá tentando analisar o que o pensamento filosófico seria capaz de fazer por alguem... Filosofar- pensar, todo mundo faz...Mas estou nesse momento me referindo a atividade do pensar na academia...                    

sábado, 18 de fevereiro de 2012

carnavais...

cinema... ah, de dia também...ha´algo ali, de muito cinematográfico...e eu mesmo exausta , sempre pensava...:-"um dia , ainda vou escrever , minhas"- Memórias da vida em Porto Alegre" e vou contar isso que me fascina nessa parada de onibus...Ai, esquecia da Tinga- hoje a noite - estamos em pleno sábado de carnaval, eles abrirão o desfile e vou ver pela tv, e torcer muito por eles...o lindo eslogan da Escola é -Tinga -Teu Povo te Ama...



               Isso foi o que sobrou de um texto que acabo de perder falando da convivencia quotidiana com a Escola de Samba da Restinga- em Porto Alegre, no ano de 20l0...pois morava na quadra seguinte a da escola...fui prá lá em pleno dezembro,de 2009, vésperas do Carnaval, portanto... 


Contava que fui lá me oferecer para trabalhar como voluntária , afinal, podiam estar precisando... Fui muito bem recebida pelo artista e presidente da  escola (Marcos...)- quem me sugeriu andar pelo pavilhão e escolher um lugar para trabalhar- me encantei com a paixão dos membros da bateria - considerada a melhor do Rio Grande do SUl, e me juntei a eles para colar galonagens, recortar, etc...mais atrapalhei do que ajudei, na verdade !Se dependessem de mim para aprontarem tudo... Todas as noites eles ensaiavam... e em frente ao barracão, há uma espécie de calçadão iluminado -em que toda a comunidade da escola se reune para tomar sua cerveja , cantar e sambar ao som do ensaio da bateria, que sai ao terraço, para dar suas palhinhas...Noites de lua cheia...nesse lugar...é de mais..A situação do bairro, geográficamente , falando lembra a planície curitibana, o ar é muito fresco e agradável,no inverno... Naquele ano infelizmente por decimo de ponto - a escola ficou em  segundo lugar...Vou dizer ainda que a Restinga é povoada por predominio de populaçao negra e afrodescendente...Num bairro de mais ou menos 80 mil pessoas, são provavelmente uns 70 por cento...e a escola de samba é deles...Gente linda, trabalhadora ,nesse lugar há cera de 35 a 40 anos, numa distancia de ônibus do centro de Porto ALegre - de uma hora de percurso , voando, uma e vinte correndo, e em horas de rush nem te conto...um deles se chama :-Rapida -10, tem ar condicionado... mas sempre sai lotadinho tanto do bairro como do centro...vou ver o que vai acontecer no desfile de hoje a noite e depois eu conto...