sábado, 31 de março de 2012

Novo Hamburgo estava nascendo no dia 5 de abril...




NOVO HAMBURGO  COMEÇOU EM HAMBURGO VELHO, 


Caminho dos plátanos, praça Nossa Senhora da Piedade  em frente a Igreja em Hamburgo Velho.Se percorre esse pequeno trajeto para alcançar a Feevale...o Hospital Regina...
E decendo a Mauricio Cardozo, entrar na Daltro Filho e chegar numa pequena concentração de construções que tiveram importancia na vida e na história da cidade...como por exemplo a  Casa Schmith -Presser, e a Fundação Ernesto Frederico Scheffel .A primeira foi lugar de abastecimento de vários tipos de produtos para as familias pioneiras na região nos anos 30 do século passado...Por acaso da sorte , essa construção havia decaido com o tempo e o descaso a ponto de ficar praticamente perdida para qualquer uso.
Pela forte campanha de artistas , arquitetos, historiadores, educadores e lideranças políticas e religiosas, em um esforço de coroamento de 10 anos de luta, voltou a vida.
Com o apoio de òrgão federal ligado ao patrimônio histórico nacional, foi tombada e ganhou recursos e equipe especializada para reerguer-se e sendo restaurada- nos moldes originais, uma vez que sua estrutura é de enxaimel, voltar ao uso , agora (isso foi em 1992) sob a ótica de museu comunitário.
Muitos  moradores mais antigos do lugar colaboraram para recompor a aparencia o mais próxima do que fora a casa - armazem, entreposto comercial- doando tambem objetos de usos  domésticos e comerciais...para a redecoração...
Colonização alemã, na minha rua-  a Piratini,encontra-se a primeira escola de evangelização luterana .


Na Fundação E.F.Scheffel, o coro masculino da época se reunia para ensaiar as noites...Ali tambem se instalou uma escola municipal durante algum tempo...Mas o lugar leva o nome de um grande artista que apesar de nascido em outro munícipio próximo, criou-se no bairro, desenvolveu-se e tornou-se conhecido sempre referido a Novo Hamburgo... então em determinado período, seus quadros foram doados ao erário , tornando-se acervo público,integrando um espaço nobre e belíssimo que é mantido pela administração pública, mas que para chegar a ter uma programação aberta a comunidade - teve e continua a ter suas lutas de mobilização junto a lideranças políticas e empresariais para  carrear recursos,  que sejam compatíveis com a manutenção de patrimônio de tal porte...artístico e cultural.Sua história como artista, levou Frederico ao Rio de janeiro, depois radicou-se em Florença na Italia, de onde se torna conhecido pelo preciosismo clássico de sua pintura e sua eximia condição de restaurador de obras de Rubens.
Consolida uma residencia e atelier em Lucca nas montanhas, para onde espera possam um dia estar outra parte significativa de seu acervo a disposição de visitação pública....
Hamburgo Velho é um berço de onde Novo Hamburgo se foi configurando, embora agora vá completar oitenta e poucos anos sómente, de vida- pois desligou-se do grande São Leopoldo de antigamente... ha menos de um século...


A marca de cidade calçadista a fez conhecida em todo território nacional e mesmo passando por recomposições de organização de produção economica, ainda luta por manter-se nesse mercado em tempos de China para todo lado, considerando que não precisa recuar de sua grande experiencia em estilos e  produção, investindo na qualidade desde sempre e agora mais do que nunca.


O antigo colégio dos padres, tornou-e um complexo imensamente polarizador de massa estudantil de vários municipios da regiao em torno com caráter de universidade recentemente conquistado e comemorado por uma classe de eminencias que dedicando-se e aos seus recursos de várias fontes, erguem o campus I, depois o campus II, significando opções de formação em praticamente todas as areas de conhecimento .

sexta-feira, 30 de março de 2012

Simone Weil e pensamento dialético


            Não - Simone não estava no esquecimento- como abordamos anteriormente  em
           vários lugares do mundo contemporâneo seu pensamento está sendo estudado ...





Ainda está sendo uma busca cheia de boas
e surpreendentes surpresas, ir ao encontro do trabalho dessa filósofa tão interessante pelas estradas que percorreu com tanta precocidade, uma extraordinária competência filosófica e poética, humanitária, solidária. 


  Dominar o método de pensar filosóficamente
não é fácil; apreender isso sem dúvida faz com que , nossa vida de produção nessa área padeça até hoje seus retardos. 
 A dialética hegueliana, estudada nos textos do próprio filósofo,  quando estava previsto no conteúdo do mestrado desenvolvido em Antropologia filosófica ( na Puc de Porto Alegre nos idos de 1993-95...);
A audácia de incursionar no pensamento de Nicolau de Cusa - em quem Hegel teria estudado a questão dos contrários;
Fazer um estudo sobre  - a "De Docta Ignorantzia"-  por propiciar a leitura dessa gestação da dialética  na elaboração de Cusanos...(que já se encontrava em Platão...)
Podem parecer " deliriuns " que não não se justificam diante dos dramas terríveis de luta pela sobrevivência...                                              A condição operária - vários  estudos sobre a opressão -em Simone Weil... de autoria de Ecléa Bosi, recentemente editado...me foi alcançado pelo professor Pessoa - Coordenador do Curso de Pós graduação em Políticas Sociais, produzido pelo Ministério do Interior e pela Universidade Federal do Ceará, em 1979.


Dizer que nos estamos atraindo pelos anti heguelianos...como Deleuze por exemplo - é precipitado mais ainda por não conhecermos nada de suas elaborações teóricas de modo suficiente para  andar com vigor adiante...


Nesse contexto- recuperar alguns estudos como em Simone por exemplo apenas começados, mesmo que estejam no padrão de desenvolvimento dialético de pensar pode sim, servir para aquecer nossas indagações, direcionar nosso pensar , amadurecer hipóteses de compreensão e ação no mundo  das idéias...onde parece tudo começa...

quinta-feira, 29 de março de 2012

Simone Weil -( III)

                                               

                                        Simone Adolphine Weil




               Nascida em Paris, a 3 de fevereiro de 1909 e falecida na Inglaterra em 24 de agosto de 1943, aos 34 anosem Londres. 


Segundo dados da wikipédia - site de pesquisas no yutube, aos ..."doze anos falava grego arcaico, aos
15 anos se gradua em filosofia.
Contemporâneas - ela e Simone de Beauvoir , comenta-se que ela teria saido em melhor posição acadêmica.


André , seu irmão era conhecido e respeitado matemático com quem ela tomava lições nessa ciencia tambem.


Que tenha sido militante anarchista, soldado na resisitência, operaria , agricultora, professora e filosofa
com  estudos escritos sobre várias áreas do pensamento filosófico - observa-se no entanto , apesar de significativo aprofundamento místico em suas preocupações teórico-metafísicas, que havendo aproximação com pensadores da igreja em sua convivência á época, esse estreitamento ocorre nos anos mais adultos, pois sua ênfase era agnóstica bem como de seu irmão André ,pouco mais velho do que ela.


Ela passa uma temporada em Assis na Italia, onde trabalha num vinhedo colhendo uvas junto aos demais agricultores...período em que fascina o religioso responsável pelo lugar- cujo trabalho intelectual era união feliz nas conversas entre eles.Vito Mancuso, era teólogo em Assis e estavam no ano de 1937.


Esses são alguns dos estudos contemporâneos que tem sido desenvolvido com base em suas obras, mais especificamente extraidos da publicação
dos registros do: 
...Congresso Internacional -com a temática
 - "Persona ed Impersonale"- a questão antropológica em Simone Weil, realizado de 10 a 12 de dezembro de 2008, em comemoração aos cem anos de seu nascimento-:


  -Jones Coy- Universidade de Chicago
    Krista Duttenhaver- University of Notredame
    -"Subjetividade, Poder e Resistência no pensamento de Simone Weil e Michel Foucault."


Outros temas- Ateísmo e idolatria.
                    -Conexões entre Simone Weil e fenomenologia.
                    -Simone Weil e Pedagogia erótica.
                    -Verdadeiramente encarnado: Cristianismo revisado e Simone weil- uma estética da libertação.
                    Nesses fragmentos de anotações que ousamos apresentar aqui, se faz visível a pertinência desse debrussar-se sobre esse trabalho de uma jovem pensadora que em 34 anos apenas de vida atingiu espaços da preocupação filosófica e humana, mas que põe em relevo verdadeira vontade de descobrir os caminhos desse pensamento e rumos possíveis para onde possa apontar...

terça-feira, 27 de março de 2012

UM FILME SOBRE SIMONE WEIL-









                Inacreditável a enorme emoção de que fui tomada ao passar o dia investigando pela internet o que poderia estar acontecendo com os estudos de Simone Weil.
As coisas que descobri -fizeram uma revolução extraordinária no que eu pensava que pudesse estar num esquecimento público sobre o pensamento dessa mulher de história tão distinta e especial...Tenho tanta novidade a organizar que prefiro começar pelo filme:-


-"BIRDS OF ARABIA"- 


          filme dirigido por David Yon e produzido por Gabriel Chabanier em 2009, um documentário  
que trata da correspondencia entre Simone Weil e Antonio Atarés, durante um tempo em que ele fica exilado na Algéria, lugar inóspito como se não bastasse, às portas do Sahara...


Conforme o texto exibido no próprio filme, -...-"com a 2ª Guerra mundial , milhares de espanhóis refugiam-se nos pirineus, em fuga pelo avanço frances e Antonio foi um desses refugiados .


Mais do que suas cartas , fala do dia a dia do entorno onde eles encontravam, em lances rápidos quanto possível identificando-nos a espetacular direção cinematográfica em que se empenharam ao fazer o filme pois nada sobra para uma crítica...ao menos não consigo enxergar como faria esse trabalho melhor se cineasta fosse...


Suas cartas tem teor humanitário e poético profundos- e estão inseridos ambos numa histórica realidade em que todo um povo passava por sofrimentos da guerra...tanto onde Simone se encontrava como ele...no início da década de 40.
A beleza dos textos escolhidos é de uma altitude que eles mesmos personagens e os que  produzem e participam do filme tratam como - elevado espiritualmente! 
A vontade que tenho é de contar-lhes logo tudo que vi e senti( e ouvi... pois ao final há um dedilhar oriental inesquecível de " cordas em árabe"!), mas farei um esforço para que reste junto a curiosidade que espero ter despertado, tudo por ser visto.


Só acho que preciso contar-lhes que o que me surpreendeu mais nessa historia- foi o fato de que não se conheciam e uma das últimas cartas de Antonio saiu endereçada daqui  pertinho, de Buenos Aires na Argentina! 


Claro que estou supondo que ninguem de meus amigos viu o filme...só eu! E que posso estar redondamente enganada e ser a única que ainda não o tivesse visto...!!


Vou pedir  paciência pois nos próximos  momentos ainda precisarei falar dessas descobertas sobre Simone... que está na "ordem do dia"-  desde o ano 2000, por exemplo, na Austrália- em Sidnei, Melbourne e Brisbane- são realizados anualmente encontros sobre o Valor Humano em Simone Weil...   

Namepedia » Jean Mac

Namepedia » Jean Mac



Talvez a mais bela das poesias sobre o significado da amizade e de um amigo que havia visto em 57 anos de vida...fiquei aos prantos pela total confirmação de sentimentos vividos e pela incrível doçura, simplicidade e precisão de idéias...Somadas a belíssima interpretação de Francoise Hardy de quem sou fã há muitos anos, -"L'AMITIE" fica marcando para sempre no meu coração uma sugestão de uma amiga para um ods mais belos momentos de encontro na vida...

domingo, 25 de março de 2012

Simone Weil- uma senhora na Filosofia

sobre   Simone Weil-




Uma vez em Paris , numa Gallimard, encontrei duas ou tres obras dessa filósofa judia francesa que tratou da opressão como poucos !


Havia conhecido uma obra de Ecléa Bosi, que não sei exatamente por que teve uma crítica eu diria um tanto severa demais, talvez por considerar que muito do que se conhece de seu pensamento foi fruto de anotações de alunos seus.
Várias passagens de sua digamos: coletânea sobre o pensamento de Simone , são surpreendentes relatos de uma pensadora que entre outras experiencias, se insere numa fábrica de peças na França de então, onde sua inabilidade motora, alem de tudo, a faz correr riscos de toda ordem...
Ao que parece esse foi seu grande laboratório de vivencia da opressão operária e marcou-me muitíssimo, pois vivi a opressão na familia, nosso doce e mais imediato núcleo de experimentações e nada se compara a forma como ela abstrae essa realidade humana de relacionar-se... 


Quero dizer que uma de suas obras - :-"A Gravidade e a Graça"  - na versão para o portugues, se encontra  pela Martins Fontes, e seriam manuscritos que ela teria deixado a Gustave Thibon pelos idos de 1948 .


Diz ela:...-"duas forças reinam no universo:luz e gravidade."


Todo seu trabalho de desenvolvimento de um pensamento filosófico - se remete as exegeses de passagens bíblicas, da vida e mensagens de Jesus Cristo- assim como aos mais diversos nomes da filosofia clássica como Platão entre outros:tais como Decarte, Espinoza, Thomas de Aquino...


Há num certo sentido um espaço metafísico se é que se pode usar essa expressão - onde seu pensamento transita e com rápida olhada não vale a pena mira-la.


Mas dispensá-la pela condenação a esse tom, nem pensar...Uma grata surpresa que tivemos foi encontrar um artigo de Maria Carpi da Universidade acho que federal de Porto Alegre numa revista da UNISINOS- de São Leopoldo, em que ela apaixonadamente abordava essa autora.E algumas informações de que na Argentina ela é  estudada na academia...o que não ocorreria oficialmente aqui por seu trabalho não ser considerado um sistema - como exige a tradição da história filosófica...


Existiriam várias mulheres que com seus estudos na filosofia , tornaram-se expoentes e entre elas no Brasil, pode-se falar em Marilena Chaui,paulista,(USP) especialista em Espinoza mas, não só; e mais recentemente Marcia Thiburi,(PUC) gaucha e bastante jovem ainda, com sua carreira que transcendeu o Rio Grande - indo a todo o país nas programações de pautas especiais para mulheres se pronunciarem e tambem nas mídias impressas de revistas e jornais em que se abriam todas as portas inclusive para as edições de seus livros. Sua especialidade é Adhorno...entre outros...


Fatores incomuns pois para se elaborar um sistema filosófico, "gasta-se " uma vida toda -ou várias...uns engatam na vida dos outros e vão indo...mais alem... desde que dominando o percurso anteriormente feito pelo outro...A cada estudioso preocupa um conceito e nada mais extraordinário do que definir um conceito novo...num sistema filosófico...Pensar é uma ferramenta , nem sei exatamente tudo o que regulou o maior ou menor aparecimento por assim dizer, de filósofas meio a tradição de filosófos...Talvez por essa questão tambem me apaixonam as cogitações, as idéias e o conhecimento  enquanto ciencia -um pouco mais do que só cultura...mas como uma ferramenta precisa de transformações...


Em Simone Weil, moram várias questões envolventes, mas digamos que a que mais me chama a pensar é a da opressão entre os homens... 


Porque oprimimos os outros? 


Porque nos deixamos oprimir?


Quando vamos mudar esse estado opressivo de viver?


O que pode mudar isso? A Política? As Ciencias?
As Artes? 


A Filosofia? 

"FELIZ ANIVERSÁRIO ,MANO'- Nº2


Lançamento do romance no Bourbon
em Novo Hamburgo, em agosto de 2011. Gilberto Abrão autografando  seus livros...Clicado pela mana ...





                                                                             
São rosas que encontro pelo caminho e que venho nesse momento te oferecer.No dia de teu aniversário sejam lá quantas entradas de outono voce comemora...(...) uma singela homenagem com muito carinho por voce...
Não importa se na estação do outono as folhas se desprendem, os galhos se mostram assim na plenitude- como estrutura que são da árvore , de uma vida...
Ali se encontra o delinear de altitudes, de coberturas e alcances, num dia novamente , uma cobertura verde e primaveril se vai perceber renascendo e o perfume no ar- vai fazer que respire mais e melhor um novo momento...pode ser que haja um tempinho ali à sombra...e tomando um gole de água fresca, entenda melhor porque são pontuais as estações...
Elas nos apanham com uma série de surpresas embora sejam as mesmas de sempre...assim como fazem os que nos olham a distancia...
Pensam que estamos vindo com um calor tórrido, mas estamos no maior inverno...Esperam que caiam de nossas precipitações toneladas de granizos, mas estamos na maior das primaveras e o que temos são flores,
muitas flores para ofertar...
Salvam-se das tormentas imprevisíveis que cairão nas chuvas de verão...
as flores sobrevivem - em algum lugar estavam protegidas por uma grande árvore, que as poupou...simplesmente as protegeu...
Sendo ou não a do outono a tua melhor estação, é preciso que se diga, que há aqui- uma grande vantagem prá voce-estar sendo um escritor de verdade! 
Passou a tratar os assuntos da vida em caráter atemporal
pode agora se sentir acima , no melhor dos tempos que 
a vida podia lhe reservar...olhar os tempos sem tempo...
não precisar- precisar...
Pode ir , pode voltar; pode nunca chegar...só continuar a andar ...A espreita, é certo estarão gnomos, guerreiros, seres normais e comuns que gostarão de fazer parte de seu texto... que esperarão estar ali, tambem assinalados...pois para um que escreve de diz- que se leia- tambem, nas outras histórias que a vida sempre conta prá voce...

QUIXOTES PÓS MODERNOS?

DON  QUIXOTE DE PORTINARI - EXPOSIÇÃO NO MARGS EM 2010.PORTO ALEGRE- RS

sábado, 24 de março de 2012

CLAUDIA DE LARA -NÓS E GOYA NO MOM


n
                                                                                                                         
CLAUDIA DE LARA
em flagrante num dos cafés do Soho curitibano, sua obra no Solar do Rosario, clicada por nós- e no café do Museu do O-Olho-


COM MARLI E CLAUDIA NO CAFÉ DO MUSEU DO OLHO, NO DIA 11 D E MARÇO ÚLTIMO , FIZEMOS UMA  MARATONA NO MUSEU EM QUE VIMOS VOANDO - QUASE TUDO QUE TINHA A SER VISTO...
A EXPOSIÇÃO:   - GOYA- GRAVURAS, que ela insistia em chamar de muito especial, na história da arte- pelo caráter crítico social e cultural daquele tempo em que Goya viveu...e eu - me desculpem os entendidos, repugnada -

 ( e é isso que o artista tem que fazer- provocar- nos a náusea...) simplesmente , pois como encarar aquelas nádegas de um velho magricela encima de um cabo de vassoura voando...? horrível...mas tive que dar a mão a palmatória...afinal depois , logo em seguida, fomos em outra ala do museu e observando outros tipos de críticas como por exemplo alguns trabalhos- em aquarela de artistas tipo Rugendas se não me engano, fazendo sua crítica da sociedade escravagista brasileira por exemplo, era sem dúvida eloquente mas..."-polida"...por assim dizer , diante da crueza de Goya...
Essa roda gigante em vermelho que Claudia pintou se relaciona com os cataventos das poesias de Quintana em que nossas crianças da vida toda e de todo mundo se buscam num frenezi de alegria, de euforia, e curtem encontrar diante dos olhos nas infinitas voltas- ao ares de nossa imaginação -como sendo todo motivo de nossa liberdade... dar uma voltinha, numa roda ...gigante...
Sei do perigo que é se arvorar intérprete de obras de artistas clássicos ou contemporâneos, mesmo que seja para tentar uma aproximação maior do que um simples observador pode constatar. Por uma necessidade mais orgânica- de um sobrevivente desse tipo de fronteira de luta pela sobrevivencia, em que expressar-se atraves da arte- chega direta e simplesmente- na exposição de suas veias , seus anseios mais profundos de superar a dor com um pouco que seja de alegrias...Como numa brincadeira de crianças eternamente prontas a viver uma aventura radical... como olhar lá do alto da roda ...um mundo lá embaixo , que não as pode alcançar  nem impedí-las de viver ,naqueles segundos, num mundo paralelo a fantasia de ser livre...

VIAJENS- ALBUM Nº 12- Paris!Ulalá...














Quando estive em Paris, todas as providencias foram tomadas e nenhuma para que tudo desse certo e nada errado...
Uma pequena bolsa de mão, uma mala de rodinhas com mais provimentos, uma bolsa a tiracolo pequena para caber a máquina fotográfica , a carteira , o batom.
Cálculos feitos de modo a que o dinheiro fosse suficiente para ir e voltar.
A ida tinha uma razão insana para quem vivia uma espécie de emprego público que estava prestes a terminar sua validade por questão constitucional federal- onde os funcionários celetistas deveriam sair dos quadros e só reentrar por posterior concurso.(Viajou-se em dezembro em abril seguinte se estava na ..."rua " com uma mão na frente e a outra atras...com mais trezentas e tantas outras pessoas...)
Num paralelo sem igual- o dólar estava um para cada real brasileiro o que significava"-  pode ir..." que a "grana vai dar..."
Mas porque Paris? E ...fazer o que lá? Num desses instantâneos vislumbres de sucesso- ir para tomar um cafezinho num dos inúmeros cafés franceses - de preferencia ao estilo de Sartre e Simone de Bhauvoir-quando sentavam para discutir os problemas do mundo.
Mas de repente um motivo mais profundo havia e quero deixar prá lá...nesse instante...e ressaltar que sendo dezembro mes de meu aniversário, poderia aproveitar e desejar comemorar em Paris...!
Dia 14 de dezembro- véspera de seu natalício, e último dia do preço de passagem de baixa temporada... ora veja? Ia chegar lá no dia 15 ? Ia mesmo comemorar num café?Assim , simples como contavam as reportagens da vida dos dois franceses famosos que invejava? 
Quem disse?
Nada disso.
Tinha saido na moita.Não. Não contara prá ninguem... medo de que algo pudesse dar errado...O mano mais velho foi consultado e previu com os cabelos em pé uma grande falencia em seguida dessa façanha...Mas aconselhou reserva em hotel , visitar pelo menos tres países e. .."ir com Deus!"
  





Poty em poema



PARA VOCE POTY DEDICO
ESSE ESPAÇO COMO SE 
TE ENVOLVESSE
EM UM ABRAÇO
DESSES DE DIAS DE COMEMORAÇÕES
EM QUE TUDO SE REPARTE EM UM INSTANTE
NUM FLUIR SINCERO O BASTANTE
PARA SE SENTIR 
NO FUNDO DA ALMA
 UM NOVO TEMPO 
POR VIR
PASSAGENS QUE SE PERDE
OU SE GANHA
PARA DESTINOS INÉDITOS
COME SE FOSSE POSSÍVEL:
"ALGO NOVO 
NO REINO DA DINAMARCA"!
NUNCA SE SABE ,
ALI NA PONTA HÁ UM SABRE
 MAS O CAMINHO SE ENCURTA
ABREVIANDO  A CHEGADA
NO  PLANO DO OCULTO
MAS PRESSENTIDO E VIL
TIRANO
E NUMA CURVA
PREMEDITADA PREVIDENCIA
NUMA QUASE 
ALTERAÇÃO DE CONSCIENCIA
SE INSTALA SUA OBRA ALTIPLANA
INASCESSÍVEL ALTITUDE 
TÃO A MÃO DE 
UM TRANSEUNTE...


FATIMA ABRAO, 24 DE MARÇO DE 2012, EM NOVO HAMBURGO NO RIO GRANDE DO SUL

quinta-feira, 22 de março de 2012

Mais POTY LAZZAROTTO






                                     Mais um minuto de pesquisa e descobri um tantão de coisas sobre Poty que não sabia...como por exemplo que projetaram um memorial sobre sua obra ...


Que Poty sofreu em algum momento  perda de um braço -poderia não significar nada, mas me surpreendeu: - não poderia supor um desenhista como ele com um limite desses...e uma superação tamanha!


Agora dia 29 de março - comemora-se aniversário de Curitiba e tambem é data de nascimento do artista- 29 de março de 1924.Filho de imigrantes italianos, seu pai era ferroviário e sua mãe mantinha o restaurante conhecido como -"Vagão do Armistício", frequentado pelos intelectuais e políticos, de onde o Ilustre Manuel Ribas premiou-o com bolsa de estudos na Belas Artes do Rio de Janeiro...


Maravilhoso saber que ilustrou:-" Grande Sertão-Veredas",de Guimarães Rosa...estou com essa curiosidade e urgência em ver esse trabalho...Sua primeira experiencia em mural foi destruída -  reportava os estudantes ...era em homenagem a eles...


Dalton Trevisan teve obra sua ilustrada tambem por ele;seus azulejos seguem a fala das coisas da terra, como os colonos poloneses e italianos que serviam os bairros com verduras fresquinhas guiando suas carroças;...as casas de estilo em madeiras desenhadas nos beirais, dos imigrantes ; suas gravuras e litografias...


Nada ainda sem contar sua covivência com os índios do xingu- que o marcaria em sua obra para sempre- segundo ele mesmo admitiria , incursão que fez a convite dos  irmãos Vilas Boas...


Napoleon Potyguara Lazzarotto, iria falecer em 8 de maio de 1998, em Curitiba.




Que dizer de usa intensa criação sobre a história, costumes e realizações de seu povo e de seu país...senão que sua herança é forte legado de identidade e cidadania para sua terra e conterrâneos, como para todos que sabem apreciar e amar a arte...em todas as suas expressões...mas se num mural não ocorrer a democratização de uma obra,
onde mais?


Talvez, os tempos nos façam supor que os grafiteiros são conquistadores piratas de espaços urbanos privatizados em que as instâncias políticas e institucionais que os administram levam em conta critérios de várias ordens.Que suas linguagens vem visionariamente nos debruçarem sobre novos seres com as mesmas carências e dores, genialidades e originalidades, talentos desenvolvidos apesar de todas as injunções da sorte,mas que a ribalta não contempla com perenidade...
Talvez haja uma discussão que ser enfrentada- nesse atributo de"- efêmeros-" que  o artista e sua arte tem nesse contexto de vida contemporâneo...não apenas aqui, na terra da gente, mas em tantos outros lugares do mundo...

TEMPO DE TEATRO



SOBRE POTY-


























                                        POTY   LAZAROTTO


                 Artista de grande e vasta obra - em desenhos, gravuras mas principalmente seus murais que em azulejos ou blocos de cimento em baixo relevo como os que se vê, atras da Catedral, na Rua Augusto Estresser, e na frente do Guaíra, por exemplo...imortalizou-se na história da arte paranaense e brasileira.
O Solar do Rosário mui justamente , criou a Sala de exposições com seu nome e alem de manter ali um acervo de azulejos e outros suportes com seus desenhos memoráveis , faz desse espaço um marco na vida de todo artista que ali expõe...
Em 1996, quando comecei meu trabalho com papel mache de forma continuada...tive a honra de ter meu endereço na Rua da Paz, a mesma em que Poty viveu seus últimos anos de vida... no alto da XV.Um dia , conversando com uma historiadora da Casa da Memória ela comentou -..."hum que chique- vizinha do Poty, hein?" E me contou que a pedido dele fora recentemente  a seu atelier com um caminhão da prefeitura  para levar cheiinho de doações de obras dele e de seu acervo até então- pois não tinha
mais espaço nem como conservar tamanho patrimônio artístico...Porque não fui lá tentar uma visita, não sei; mas ele estava adoentado...; mesmo assim, trabalhava ainda e contava com um bom assistente de execução de seus grandes projetos muito trabalhosos em cimento e baixo relevo... o que se vê por exemplo na fachada do Teatro Guaíra.

segunda-feira, 19 de março de 2012

simples ...

                                     As vezes a sorte nos sorri alem da conta...parecendo que na verdade por cinco dinheiros nos tornamos afortunados...
Passando por um restaurante de comida chinesa que adoro, pensei :-"vou matar as saudades de um frango xadrez"...tambem sonhei com uma cochinha normal dessas de lanchonete comum, que existem em qualquer quadra de minha cidade... apenas o pastel teria que ser lá da frente da biblioteca pública...Dessa vez , não quis a vitamina de morango e nem aquela fatia de  pizza  do italiano em frente a antiga trol, pouco só mais prá baixo da biblioteca...e na confeitaria das  familias um mil folhas ao inves do tradicional madrilhenha...


Até parece que a vida se resume ...a isso -: os prazeres da gula...Mas sinceramente sinto quando olho para tras uma doce saudade de entrar no patrício ali na José Bonifácio ao lado da catedral e comer um kibe feito a pouco, com um gotas do molho de pimenta...e um copo de café...Talvez fosse pela companhia de meu pai quem fazia uma arruaça - feliz, pois a fome era verdadeira e o desejo de comer aquele mesmo salgado de sempre, servido ali no balcão,de pé, fazia muita diferença...Curitiba foi vivida ao seu lado - compartilhando seu olhar sobre tudo... até meus quinze anos, quando então juntou seus poucos pertences e resolveu que iria para o oriente...era muçulmano precisava fazer ao menos uma peregrinação para merecer o ceu de mel e delícias...Tambem porque tinha toda a sua familia paterna e materna lá na Syria, e na fronteira com o Líbano..inclusive uma filha...A quem iria abraçar depois de quarenta anos sem na realidade te-la conhecido que não -provavelmente por fotografias de amigos que por lá andaram...nessas idas e vindas que costumam fazer os que saem de sua  terra...


Não sei se entendi - mas pareceu que no encontro de colegas de Colégio Estadual do Paraná- pessoas que não vi há mais de quarenta anos, senti algo assim...de um maravilhoso rememorar de uma história vivida mas onde não se sossobrou a pieguice mas se recuperou a maior energia que a juventude nos emprestava...para nos darmos uma carga a mais  de esperança em dias mais interressantes ainda que façamos de certo modo as mesmas coisas há anos...

MANDALAS

                                    


Sempre achei que sim- há beleza na simetria...esse trabalho de entalhe onde um artezão esculpiu elefante, macaco, coelho, flores, folhas...em perfeita simetria é impensável fora dos  meus limites de observadora...

Mas sempre- ou volta e meia, alguem se dedica as mandalas e usufrui segundo depoimentos que ouço- de uma profunda reflexão do quanto somos um no universo... 

Todos conectados ou não  conscientemente, temos a ver uns com os outros...e parte chata do caso - quando alguem de nós não dá bola pra essa ligação...e passa ao largo como se estivesse andando sózinho no mundo;ou quem sabe preferisse fazê-lo embora não seja possível...
                              Pode ser que seja um problema motor, emocional, psicológico, mas não consigo fazer origames, não enxergo as simetrias e não posso mudar isso nem que eu queira...

                              As torturantes diferenças - poderiam ser  assimetrias que se veem forçadas a se comportarem
nos limites de um espelho...o espaço que se tem é igual -portanto nada de ultrapassar esses limites e ir se espalhando... mesmo porque não sobra nada de lugar que não seja lugar...simétrico....qualquer tentativa de buscar mais espaço pode isto sim, tornar-se uma neurose, psicose, quando se agravar; e  enfim,algo difícil de tratar... sem esperança...!
                                Pode ser que os povos da India, e do oriente, tenham mais clareza sobre isso...não fez parte de nossa educação a observação do mundo nesse desenho e na verdade os desenhos que fazemos da vida
que vivemos - são ainda esboços do que fomos ou do que queremos editar...num sofrido e caótico turbilhão de sobreposições e enleios difíceis de separar por lâminas de bela e simétrica mandala...     





sábado, 17 de março de 2012

No atelie da Pedro Adams Filho


Na parede externa do atelie, uma pintura que juntava o "Tocando gaita de boca" de Glenio Bianchetti e a "Paisagem gaucha" de Glauco Rodrigues, dois dos quatro grandes artistas gaúchos- conhecidos como - grupo de Bagé- ( aos que se acresciam Danúbio Gonçalves e Scliar) que ficaram internacionalmente conhecidos principalmente na década de 50.

SITUADO A AVENIDA PEDRO ADAMS FILHO,
O-
" ATELIE DE ARTE EM PAPEL- FAFA MOHAMED"...

nossa identificação fantasia para a produção em papel mache- (reciclando jornais , papelões e papeis de presente) PASSOU A TER UMA ENTRADA ARTÍSTICA !


A TREPADEIRA APENAS INSINUADA, EXISTIU EM  FARTO VERDE NATURAL E A HISTÓRIA FICOU LINDA...

DE QUANDO EM QUANDO A PODÁVAMOS PARA QUE SE TORNASSE O COMPLEMENTO QUE PROJETARAMOS...MAS AI! AUDÁCIA DE SEMPRE QUERER CONTER A MÁGICA QUE SURPREENDE POIS VEM DE ALGUM SER PERFEITO E ÚNICO...
A ERA, BROTOU ALI, NÃO FUI EU QUEM A PLANTOU...
SE JÁ HAVIA UMA MUDA ALI, HIBERNANDO
 NÃO SEI...UM DIA SUBIU DO CHÃO UMA TIRA DE CIPÓ COM ESSAS FOLHINHAS LINDAS QUE AS ERAS COSTUMAM TER E FOI ASSIM
 SIMPLES - ASSIM-
 QUE ELA FOI TOMANDO FORÇA, SE BIFURCANDO MAIS E MAIS... ATÉ SE TORNAR MAJESTOSA...LINDA

E PASSAR A SER INDISPENSÁVEL PARA A PAREDE e SER TUDO AQUILO...!!!






RODAS E CATAVENTOS





A SEMANA DE 22 E EU...



segunda-feira, 12 de março de 2012

Cantina da Federal do Parná


                                         O melhor momento da faculdade não é sempre o da sala de aula mas muitas vezes o daquela horinha na cantina...
Tanta coisa prá conversar sobre a vida, as coisas do coração, e tambem dar umas olhadinhas...afinal na minha turma tinha um gato rebelde , atraente e safado, quardadas as proporções de um quadro de safadezas públicas de hoje e de uns trinta anos atras...mais ou menos...

Havia no  peito um coração que pulava até na boca quando se sabia que poderia se ver...e fatalidade ou sorte acabaram mesmo se apaixonando...


A torcida era grande e quem não torceria por aquele folhetim ao vivo e a cores...fazendo a cada sessão uma nova e vibrante exaltação do carinho sincero da boa senssassão de estar sendo correspondido...


Quando vinha o  elevador e ninguem mais subia...a sociologia se estudava no nono andar...ah!Rolavam (como se diz hoje em dia)muitos beijos ardentes e saborosos embora ficassem neles por talvez...uma ano!

Nem se viam fora da escola...era só lá que a coisa rolava...e acabou virando uma história impossível...que não teveexatamente um fim... mas que foi sem dúvida um sonho de amor perdido...

As hipocrisias das intituições religiosas tomavam conta da cabeça dela; as revoluçoes políticas e ideológicas , ocupavam o tempo dele...
e das
Não havia na real - mais do que um ferver do sangue das veias...e um romance assim meio castrado...

Mas quiseram os anos que os caminhos distanciasse essas pessoas e fizessem ficar apenas como um ponto de amor e carinho na memória...nada mais...

Hoje, voce não acredita: estou sentada, aqui a mesa da cantina e um cheiro insuportável de alho macerado toma conta do ar tornando o ambiente brochante....e quase insuportável...

Vejo jovens clicando coisas em seus notebooks, diria que em número equiparado de meninos e meninas, são agora 11 e 20 ;e acho que alguns daqui a pouco vão almoçar no RU...como antigamente...que fica aqui, na rua ao lado...

Não consigo imaginar o que eles querem ser em suas vidas...o que já fazem para serem reconhecidos...estágios? Onde? Monitorias? ONGs?
vros encima das mesas...vejo poucos livros encima das mesas - será que leem alguma coisa...?

Uma das meninas contemporâneas de uma turma anterior a minha- deve se eleger reitora da universidade nas eleições desse ano...já e´vice...


Eu estou só de passeio... vim rever colegas de tempos mais antigos...do ginásio no Colégio Estadual do Paraná... desde quando estudamos juntas dos 11 aos 14 anos...como se fossemos recuperar algum paraiso perdido...alguma confiança extra no futuro , sonhos....

As lições da vida nem sempre vem nas formulações de um templo de saber - de uma escola- podem vir só da vida em si... das trocas ,ferozes ou santas- entre os que fazem conosco o percursso...do dia a dia... Mas vamos sempre em busca de errar menos com auxilio das ciencias...

Coisa difícil para quem não se submete as disciplinas para educar as idéias...Mas mais que isso momentos impagáveis de compartilhamento de café, refri, um pastel, uma esfiha, um kibe , quem sabe? na Cantina da escola...

sábado, 10 de março de 2012

festa no ceu


                               Decidi que melhor seria reduzir tudo- a começar pelos gastos..

Tudo custa - nada é barato- tudo pode ser mais em conta...Alguma coisa está acontecendo e não é nenhum pouco irrelevante- afinal - só gastar , gastar, e não ganhar nada... nesse meio de tempo-poderá significar a falência...

Mas para que pensar assim? Negativamente? Conheci uma pessoa, na verdade mais de uma- que decidem suas vidas em momentos de crise,  pensando em como  tudo poderá se reorganizar desde que conceda num ato de fé - a Deus - a confiança de intervir em suas vidas no sentido de providenciar o que possa ser melhor para si...

Nem sempre sabemos o que é melhor para nós...

Por exemplo- uma grande festa ia se organizar lá no ceu e a bicharada  queria toda ir...mas nem todo mundo podia..Uns , por causa de não saberem voar, outros por não saberem mas mesmo podendo pegar uma  "carona"- não disporem de nenhuma no momento; outros porque estariam muito ocupados nesse dia e impossibilitados porisso de irem...;outros ainda , pensaram que não tinham nada a fazer lá...e que nem valeria a pena ir...afinal não conheciam realmente, ninguem...!

Mas a festa estava para acontecer e os agitos estavam correndo soltos a ponto de todo mundo estar sabendo e muito ansiosos para o dia da festa chegar.;..que será que ia acontecer lá?

Por incrível que pareça - tudo dentro da maior normalidade - todos contaram tudo que puderam sobre suas venturas e desventuras... brindaram ao extraordinário momento , e entre muitos abraços, carinhos, trocas de tanto tempo sem se verem, fazendo crer que ali estava surgindo uma nova necessidade de se festejar mais a vida...que é o maior bem que se tem...e que precisamos todos nos antenar para essa possibilidade de simplesmente festejar...


Surgiu a questão de que tudo custa muito caro...que não é facil ...muitas vezes não se tendo realmente de onde tirar o meio pra que a união seja bem sucedida e que tudo corra bem...feliz pra todo mundo...

Mas a festa sai de qualquer jeito contigo  ou sem voce e acaba sendo uma espécie de fracasso não conseguir voar até esse céu onde vai rolar a festa...

Película inédita





festa mesmo pode se chamar a 


imensa alegria no coração

por estar fente a frente como nuna antes
com certeza

pois ser  um segundo  ao menos

livre para encontrar as pessoas qu escolhi

ou que a vida escolheu

por si mesma


meninas ontem , mas com a cara de ontem ainda

um percurso de livro, de literatura

pode ser que ainda vire filme...

e que a chamada seja : as garotas cresceram

ficaram mais valentes e deicdiram
se unir em uma
película inédita...

"-aluninhas do estadual, 40 anos depois contam a sua história"...


ninguem podia imaginar que lindo protagonismo atingiriam cada uma delas eo conjunto

num tempo em que ninguem mais

tem tempo prá nada...




sexta-feira, 9 de março de 2012

                     É - hoje !!!


uma  turma de enlouquecidas cinquentonas se reencontrando para se dedicar um minuto de carinho...


todas muito sim senhoras, cheias de muita história prá contar...se eu não estivesse lá não acreditaria que estão fazendo isso com as caras mais junvenis que já vi em uma turma inteira na minha vida...

amar a memória , amar a vivência , tudo que puder

amar a vida que passou , exibir a vida que hoje sou,

pensar mais ainda poder amar...


"...nada do que foi...
será de novo
do jeito que já foi um dia";

mas o bom mesmo é empunhar o florete de Quixote e falar nem que seja para  o  vento ouvir,

para alguem que nunca nos viu, ouvir:

Estou aqui, de passagem, vim encontrar umas amigas...
desconhecidas amigas...tambem...vou olha-las pela primeira vez...nso olhos e dizer encantada em lhe conhecer...obrigada por me incluir , hoje aqui entre suas amigas...
nos conhecíamos tanto que o tempo nos tornou  para sempre as mesmas...

nada do que se possa imaginar vai acontecer ...tudo carece de ser entusiásticamente enfrentado e desfrutado

como um novo e grande momento de descoberta de sí e do amigo...aquele com quem convivi- mas sinceramente me era desconhecido...meu coração vai sentir quer  não fiz mal em não dedicar mais minha vida a esse ou aquele...todos precisamos sim de mais oportunidades e na verdade quase ninguem tem uma segunda chance na vida;

ms pra nós vai ser em grande estilo...noite de gala...mesmo que não estejam lá - ouviremos violinos...

sempre vi nos filmes- as pessoas num café elegante , com um computador escrevendo coisas...achava isso muito incrivelmente distante de minha vida...

Não há de ver que meu texto se equivocou? acontecu comigo, aconteceu comigo...

Curitiba, 9 de março, de 2012, café athena.


quarta-feira, 7 de março de 2012

EU DISSE :REGINA?


QUIXOTESCA







                                                    Um espírito meio assim CDF- essa expressão designando os nerds de hoje em dia, ou seja - os muito compenetrados no dever...era o ambiente íntimo daquela minha colega de aula, na adolescencia.


Não sei dizer se era defeito ou era uma qualidade...

Naõ ria de piadinhas comuns onde todo mundo se rolava de rir; não falava alto, só murmurava...;nem siquer dobrava ali encima o cós da saia, umas tres vezes, como as outras faziam...primeiro prá mostrar suas belas pernas,, mesmo; segundo porque - pelo amor de Deus... que  mal que tinha umas gurias inocentemente usar o comprimento da moda?A malícia tava na cabeça das pessoas...


Bom -mas aquela era assim- sofridamente nerd dos anos 60...

Pose certa para sentar-se; palavras escolhidas para expressar-se...assim, digamos no linguajar do ditado popular- com classe(!?)

Não me pergunte que nem eu sei o que essa tal classe significa:...pode ser isso, pode ser aquilo...Deve ser algo que habilita a pessoa a alguma coisa...não sei ao que exatamente...talvez um casamento, um dia , com um principe de buckingang, se houver um sobrando...pois principes são uns dois a cada geração e as candidatas...
nascem aos milhares...! Não, acho que não está nisso a explicação...


Da literatura universal ? Ah- tinha lido alguns dos clássicos... sim, sim.Da literatura brasileira?Esse ou aquele, nem tudo prestava...Enquanto isso , outra delas de evidente modesta formatação (?!) para usar a linguagem pósmoderna e cibernética, fazia barulho mesmo quieta.

Mas o que mais me impressionava, era seu caráter equilibrado, forte e suave , capaz de tomar as dores de uma colega , na classe, acuada por alguem...podia até ser um professor...Pedia licença e  atacava de defensora dos fracos e reprimidos...Não , não acho que fosse para aparecer- mais que nada tinha bom desempenho e só por isso já tinha seus momentinhos de glória, na vida...

Acho que tem na alma uma certa sede de justiça , algumas pessoas...

Assim como num repente espontâneo , incontrolável se ergue sem nehuma espada na mão e enfrenta os moinhos de vento...

Acho que isso sim- pode ser: talvez, tal Dom Quixote, exista no coração dessas pessoas- de um modo a movê-las para que busquem dia e noite,noite-dia, algo nobre para acrescentar ao seu nome ... pelos feitos de justiça vai buscar sua genuidade (ui- existe essa palavra?)- sua autenticidade...sua identidade...embora não sei:-quem evita a diluição no coletivo?

Ouvi alguem reclamar certa vez- "...tudo em nome da verdade"? ah, pois é...
hum - sinuca de bico.

Umas mentirinhas caridosas podem salvar o doente...da morte...mas se continuar doente ....aí já nem é mais problema meu...

Interesante - com fui me lembrar dela ...talvez nunca a tenha esquecido...não vi mais ninguem parecido...

Acho que é porisso...Era estranha e diferente; parecia sempre preocupada com problemas do mundo...

E o mundo? Grande coisa...nem aí se essa criatura existia...até porque não nadava, não defendia o time no basquete, sabe? Falando a verdade - não fazia nada...só pensava nos problemas do mundo....