quarta-feira, 21 de março de 2012

Quintal público


Aí na feirinha do Largo da Ordem- todo domingo , vale apena se voce quizer comer um pastel, um acarejé, um bolinho de bacalhau...Tomar um caldo de cana geladinho,levar melado do bom prá casa, e mel puro também...nessa casa vermelha que se vê ali num canto esquerdo, funcionou durante décadas uma casa de ferragens onde se encontrava de tudo...pregos, tachinhas , ferramentas de todo tipo...até que um dia , acabou sua possibilidade e o prédio virou-se para a cultura da cidade, foi tanta coisa té teatro...Ali assisti "Woizèk"- uma peça muito forte onde a Fernanda Farah, trabalhava com mais outros atores amigos...num cenário arrojado, um texto muito incrível...
Ali tambem em 2002 fizemos uma modesta cerimônia de lançamento de nosso livro - Papel Mache e Seus Usos...num domingo de dezembro...hoje em dia - não sei o que fazem naquele espaço...uma estrutura que ainda era de madeira...demandava um grande trabalho de restauração... nesse círculo de paralelepipidos- olha só essa palavra que sonoridade...- bem ao centro estava o bebedouro das carroças que andavam pela cidade antigamente - e que levavam os cavalos a beberem agua fresca e eternamente jorrando...Decendo um pouco , se entrava na quadra da José Bonifácio, onde muito de minha infancia aconteceu pela força da origem paterna - que era árabe- e que pelo costume transitava por ali, sempre - pois meu pai tinha que dar seu alô -aos patricios e só naquela quadra havia o comercio de dois deles muito importantes... para ele.
Ali tambem, fica ainda- a Catedral metropolitana de Curitiba- a Igreja de Nossa senhora da Luz dos Pinhais, no mesmo pedaço de quadra de rua...é: acho que a José Bonifácio é só aquele trajeto de uma quadra ali!... E em frente a catedral, em calçadão que se fez contíguo- o marco zero da cidade.Agora, recentemente , quando estive lá, estava a igreja -sendo pintada e restaurada pela milésima vez...Ao lado direito a praça Tiradentes, num lado onde meu pai teve seu-Bar e  Snooker Califórnia- num salão de espaço enorme onde cabiam com folga 8 mesas de sinuca...oficiais e onde os homens jogavam de terno e gravata...Isso foi na primeira metade da década de 50...Muito, mas muito tempo atrás...Centro da cidade- é impressionante como nossa vida desenrolou-se por ali...por algum tempo...Sendo marco importante- como um quintal na casa da gente... mais complicado por ser público, de outras gentes, não nosso sómente...mas assim como se fala de cidadanias- pode-se falar de memórias...como mais um lado sim - das histórias...

Nenhum comentário:

Postar um comentário